SESCON ENCERRA UNILATERALMENTE AS NEGOCIAÇÕES SALARIAIS

Dia Internacional da Mulher
8 de março de 2021

SESCON ENCERRA UNILATERALMENTE AS NEGOCIAÇÕES SALARIAIS

Em resposta ao comunicado do Sescon RS aos escritórios contábeis, publicado nesta semana, vimos esclarecer alguns pontos da negociação coletiva e nos colocar à disposição dos escritórios para realização de Acordo Coletivo.

                Como poderão ver no descritivo das duas reuniões de negociação que tivemos, não houve um processo “exaustivo” de negociação!

O que houve foi a participação de um grupo de empresários da Contabilidade que nunca havia participado de nenhuma reunião de negociação e que radicalizou a negociação pautando na retirada de direitos históricos da nossa categoria como, por exemplo, auxílio creche, estabilidade da gestante, desconto do feriado nas férias, despensa do aviso prévio em caso de novo emprego. Grupo este sem nenhuma consideração e respeito pelos funcionários de seus escritórios e de toda a categoria! Grupo que conforme a “cartilha de orientações” publicada sugere aos empresários que não mantenham as cláusulas constante na CCT, a não correção dos salários e admissões com valor inferior ao piso da categoria; o que causa insegurança jurídica aos escritórios.

Nos colocamos à disposição dos empresários que valorizam seus funcionários a realizarem Acordo Coletivo de Trabalho com o Sindesc, garantindo segurança jurídica às empresas. Nossa proposta é a manutenção das cláusulas já existentes e verificação de percentual de reajuste. Para tanto, podem nos contatar pelo email secretariogeral@sindesc.com.br ou whats 51 9 9646-4855. A discordância da negociação com o Sescon não esteve em percentual de reajuste, mas na retirada ou alteração de cláusulas já existentes.

Nunca trabalhamos tanto! Nunca precisamos ser tão resilientes, compreensivos e estudiosos! Não é momento de se acirrar a exploração do trabalho, é preciso ter bom senso!

São mais de vinte cinco anos de negociação e sabemos que este grupo radical e desrespeitoso ao empenho dos empregados nesse tempo de pandemia não representa os empresários da contabilidade do Estado do Rio Grande do Sul.

Histórico da negociação com o Sescon RS

Na primeira reunião, ocorrida em 17.03.2021, o Sescon apresentou proposta de reajuste zero e retirada/alteração de 18 cláusulas da CCT; dentre elas: retirar auxílio creche, estabilidade da gestante, o desconto do feriado nas férias, retirada da despensa do aviso prévio em caso de novo emprego, aumento do banco de horas para 180 dias. Nós fomos para a negociação com a intenção de pleitear reajuste conforme INPC de março, que foi de 6,22% e a inclusão do auxílio home office, que seria um valor para subsidiar os custos extras que temos com o home office (por exemplo: energia elétrica, internet).

No dia 07.04.2021 ocorreu a segunda reunião. Aceitamos todas as solicitações da parte patronal, mas em contrapartida queríamos 18 novas cláusulas que seriam a compensação das perdas que teríamos. O Sescon finalizou a reunião após 20 minutos, recusando a contraproposta.

O que ocorreu após estas duas reuniões e inicial encerramento da negociação por parte do Sescon, foram conversas informais entre o Presidente do Sindesc e o Advogado do Sescon RS na busca de alternativas.  Uma das propostas do Sindesc foi a concessão de um seguro aos trabalhadores que o amparava e desobrigava as empresas de algumas cláusulas.

O Sescon recusou a proposta e insistiu na retirada das cláusulas que trazem benefício econômico aos empregados sem qualquer contrapartida, tendo o parcelamento do percentual da Inflação  em duas vezes.

                Entendemos que estamos em momento difícil e atípico, sendo necessário que ambas as partes abram mão de reivindicações. Mas retirar direitos históricos e tão necessários aos empregados sem qualquer contrapartida é inaceitável.

Atenciosamente.

A Diretoria.